Inaladores

Nesta página encontra todas as informações sobre os dispositivos e fármacos mais usados no tratamento da DPOC – esta secção vai sendo atualizada frequentemente.

LISTA INALADORES ATUALIZADA

Maio 2018

Última revisão efetuada pelo Dr. João Oliveira Pereira

TIPOS

 

Broncodilatadores (Isolados)

LABA – Beta-agonista de longa ação: o seu principal efeito convite em relaxar o músculo liso das vias aéreas atuando nos recetores beta, levando a um efeito broncodilatador. Devem ser usados de modo regular e tendem a melhorar os sintomas que o doente sente no dia-a-dia. Tem uma duração de ação de 12 horas ou mais, sendo que o formoterol e o salmeterol devem ser usados 2x/dia para melhorar os sintomas respiratórios e diminuir as agudizações da DPOC e o olodanterol e vilanterol são usados 1x/dia e melhoram também os seus sintomas e a função pulmonar.

Efeitos adversos: palpitações, ritmo cardíaco acelerado, tremor, diminuição do potássio com consumo combinado de diuréticos tiazídicos.

LAMA – Anti-muscarínico de longa ação: principal efeito é o de relaxar o músculo liso das vias aéreas atuando nos recetores muscarínicos M3. Incluem o brometo de tiotrópio e umeclidinio (administrados 1x/dia), brometo de aclidínio (1 a 2x/dia) e o brometo de glicopirrónio (1x/dia). Melhoram os sintomas e a qualidade de vida e diminuem as agudizações e as idas às urgências/hospitalizações.

Efeitos adversos: secura da boca, sabor metálico, possível retenção urinária, glaucoma.

 

Associações

LAMA+LABA: Estes dois broncodilatadores de longa ação usados em conjunto têm um efeito broncodilatador superior versus se forem usados em monoterapia, com menos efeitos secundários em associação que aumentando a dose de um único fármaco. Existem várias combinações de broncodilatadores num único dispositivo que melhoram a função pulmonar, sintomas, qualidade de vida e reduzem as exacerbações.

Efeitos adversos: supra-citados.

ICS + LABA: Esta associação de corticoide inalado e beta-agonista de longa ação têm um papel importante na DPOC moderada a grave e as suas exacerbações. Combinando o efeito anti-inflamatório do ICS e o efeito broncodilatador do LABA melhora-se a função pulmonar, a qualidade de vida e reduzem-se as exacerbações.

Efeitos adversos: Se existir um uso prolongado de ICS, podem desenvolver-se  efeitos não desejados, tais como a candidíase oral, a rouquidão e as pneumonias (o risco aumenta em doentes fumadores, com mais de 55 anos de idade, com história prévia de pneumonia, índice de massa corporal ≥25kg/m2, com queixas frequentes de dispneia e grande limitação na função pulmonar). Existe controvérsiasquanto ao risco de osteoporose e fracturas patológicas com uso de ICS assim como o risco de diabetes, cataratas, tuberculose.

Se o doente apresentar dúvidas sobre qual o inalador que está a fazer, com o “qual é o seu inalador” mais rapidamente conseguirá ser eliminada qualquer dúvida.

Em breve em versão app.