NICE emite alerta para diminuir a prescrição de antibióticos na DPOC

Os profissionais de saúde devem ponderar os benefícios dos antibióticos contra o risco de resistência antimicrobiana ao tratar indivíduos com exacerbações agudas de doença pulmonar obstrutiva crónica (DPOC) – este é o alerta do Instituto Nacional para a Saúde e Excelência em Cuidados (NICE), que reflete uma nova guideline que será publicada em breve . “A evidência mostra que há benefícios limitados do uso de antibióticos para o tratamento de exacerbações agudas da DPOC e que outras opções importantes deverão ser levadas em consideração antes que os antibióticos sejam prescritos”, refere o diretor do centro de diretrizes do NICE.

Segundo este organismo apenas metade das exacerbações agudas são causadas por infecções bacterianas, portanto muitos episódios não respondem ao tratamento com antibióticos. Outras causas incluem infecções virais e fatores ambientais, como o tabagismo.

Para indivíduos com uma exacerbação que não é grave, a proposta da NICE recomenda que se deve considerar um antibiótico “somente depois de levar em conta o número e a gravidade dos sintomas, exacerbação prévia e histórico de >1 admissão hospitalar, o risco de desenvolver complicações e cultura e suscetibilidade da expectoração em episódios anteriores.”

Quando os profissionais de saúde decidirem não tratar a exacerbação com um antibiótico, devem aconselhar os doentes a procurar ajuda se os seus sintomas piorarem rapidamente ou significativamente a qualquer momento, ou se sentirem muito mal.

Em contraste, a evidência em indivíduos com exacerbações graves, normalmente com uma rápida deterioração no estado respiratório que requer internamento, revelaram um maior benefício com o tratamento com antibiótico. Por isso, o NICE recomendou que os profissionais de saúde ofereçam um antibiótico para pacientes com exacerbação aguda grave.

Uma versão preliminar sugere ainda a instituição de antibioticoterapia profilática apenas para doentes com DPOC que, apesar do tratamento otimizado e da cessação do tabagismo, continuam
ter exacerbações frequentes (tipicamente quatro ou mais por ano) com produção de expectoração, exacerbações prolongadas ou exacerbações que requerem hospitalização.

O NICE espera ter publicar esta guideline em Agosto de 2018.